"Caro amigo": Um comentário do Prof.JOACI BARBOZA -UFRO.JI-PARANÁ



O futuro de mudança ou permanência da UFRO:só suas ações dirá. 
Caro amigo,


Não assisti ao debate, mas fiquei com uma dúvida, qual seria a resposta ideal que o Valverde poderia ter dado para contentar um velho e rabugento professor como você? Aliás creio que esse problema da disparidade de salários entre policiais e professores é uma coisa muito antiga, para tal realidade basta verificar o salário de um Policial Rodoviário Federal, função onde era exigido somente o Ensino Médio.



Creio que o problema é de ordem política e organizacional.



Política por que para um sistema como o nosso, capitalista, a segurança da riqueza e da propriedade privada dos meios de produção é mais importante que educação para o pobres, já que a educação dos filhos dos ricos é assegurada não pelo escola, mas pelas próprias condições que possibilitam acessos que os filhos dos trabalhadores dificilmente terão. Acesso a viagens, acesso a bons livros, acesso a tecnologias, dedicação exclusiva ao estudo, enquanto o filho do pobre tem de trabalhar desde a mais tenra idade para complementar a renda da família, então o que é oferecido nas escolas públicas não passa de uma farsa, por isso professores como você eu e tantos outros vão sempre receber salários minguados, dar aulas em salas que mais se assemelham a latas de sardinhas e todas as lamúrias que poderia elencar aqui, mas creio não ser o caso.



É um problema de organização, e isso se evidencia no noticiário que você anexou ao texto, os policiais se organizam, quebram o congresso, atiram uns contra os outros, enfim, se organizam e vão a luta, por mais que essa luta não vá além do mais ralo corporativismo, é quanto aos professores? Esses ao entrarem de grave, a primeira coisa que fazem é ir para casa, quando não viajam para suas terras de origem, de forma que sempre encontraremos as mesmas caras, as mesmas falas o mesmo desânimo, e por conseqüência as mesmas vitórias parciais ou derrotas acachapantes.



Mais voltando a resposta do Valverde, creio que não teria melhor que o silêncio, pois do contrário, se tivesse prometido igualar o salário do professor ao do policial estaria incorrendo em falsa promessa, em calote eleitoral, em demagogia, coisa que não fica bem num candidato do PT, se tivesse dito que iria rebaixar o salário do policial estaria contrariando uma lei, coisa que não fica muito bem para qualquer candidato a governador, que deve cumprir e fazer cumprir as leis desse país, além de aparentar, ao menos para mim, defender a socialização da miséria, aliás essa já está mais que dividida.



Pelo que assisti dos outros debates e, mesmo dos programas eleitorais, a coligação e não o candidato, como você crê e faz os seus leitores crerem, assumem o compromisso de humanizar essa relação professor aluno, diminuindo o número de alunos, isso por meio da ampliação da rede, melhoramento gradativo dos salários, construção do Plano de Carreira, Cargos e Salários, estímulo a formação continuada etc...



Creio que isso é a parte do compromisso que um governante de caráter democrático e popular pode e deve assumir com os educadores, a parte da política de Estado, a outra, bem a outra é decorrente da organização da categoria e não ação de governos ou de partidos.

Fonte:
De: Josÿffffe9 Joaci Barboza Exibir contato

Para: Peixoto
Cc: Seu P. PEIXOTO ; Sesiom Otoxiep ; josé Joaci


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

DISCURSO DE COLAÇÃO DE GRAU DA TURMA DE PEDAGOGIA 2007 UNITINS FAEL PELO ORADOR E ACADÊMICO ROMY NOGUEIRA

O OUTONO DO PATRIARCA CHEGA AO FIM: FIDEL CASTRO ESTÁ MORTO.