Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

EPIFÂNIA BARBOSA E O VALOR DO SEU DISCURSO

Imagem
Considerações acerca do valor do discurso da Deputada Estadual do PT de Rondônia a respeito dos trabalhadores da educação em estado pré-greve. — Ouvi num site no dia 27 de Abril, com muita atenção, o discurso da Epifânia Barbosa do PT na assembléia ordinária acerca do aumento de salário que os trabalhadores em educação de Rondônia vêm pedindo ao novo governo e a ameaça de realizarem uma greve caso não seja atendidos. Eis algumas considerações acerca do valor do que ouvi da nobre professora-deputada:
1. A Assembléia Legislativa desse Estado é de dar nojo e vergonha até para mim que não sou nascido aqui [graças a Deus!] Nunca vi uma instituição tão subserviente ao poder executivo esteja ele sendo governado por quem quer que seja. Um bom exemplo desse fato foi o comportamento da legislatura passada e retrasada. A legislatura da era CACA [Cassol-Cahulla] que só dizia amém a tudo o que o poder executivo enviava para lá ser aprovado. O atual presidente, o evangélico Sr.Valter Araújo era [e ai…

OS TEMPOS ESTÃO MUDANDO

Imagem
Leio que dezenas de opositores chineses -- advogados, escritores, jornalistas, artistas e blogueiros -- foram detidos, submetidos a prisão domiciliar ou afastados de suas casas nas últimas semanas, em escalada repressiva cujo objetivo óbvio é resguardar mais esta ditadura do  contágio  das revoltas libertárias.
As pedras voltaram a rolar e a única certeza é a de que os verdadeiros revolucionários devem posicionar-se ao lado de todos aqueles que se revoltam contra tiranias.
Não importa que as nações ocidentais façam com a Líbia o que deveriam fazer também com a Síria, mas adotem dois pesos e duas medidas.
Não importa a posição que algumas dessas ditaduras obscurantistas, retrógradas e assassinas assumam no tabuleiro político internacional.
Importa apenas que oprimem seus povos e os seus povos estão se levantando contra elas, pouco a pouco, com o temor da repressão brutal cedendo lugar à esperança.
E o farão cada vez mais, pois o mundo se tornou um péssimo lugar para se viver nestas últimas…

OS ARAPONGAS DO PATRULHAMENTO CRICRI

Imagem
Depois de escorraçados pelos cultos, libertários e (consequentemente) antípodas da censura no final de 2010, os patrulheiros cricris contra-atacaram da forma mais sórdida possível, desencavando cartas em que Monteiro Lobato  expressou conceitos racistas.
Ora, em nenhum momento estiveram em questão as opiniões que o grande escritor, o grande defensor dos interesses nacionais e o grande adversário da ditadura getulista remoía na intimidade. 

Além de inquisidores, os patrulheiros cricris são bisbilhoteiros, comportando-se como repulsivos arapongas.
Igualmente, a grandeza da obra de Jorge Luis Borges não foi destruída pelo seu apoio a uma ditadura argentina -- embora isso nos tenha levado a perder o respeito por ele como homem.
No caso de Lobato, a coisa fede: ele nunca fez proselitismo contra os negros, mas, pelo contrário, compôs sua inesquecível Tia Nastácia como uma personagem extremamente humana, simpática, generosa e sábia em sua ingenuidade de mulher simples do povo.
O fato é que os pat…

ESTADO DE RONDÔNIA RECONHECE O VALOR QUE AS SUPERVISORAS DE ESCOLA PÚBLICA TEM!

Imagem
Depois de tanto estudo, tanta devoção,  tanto esforço para concluir um curso superior de pedagogia na UNIRON, FATEC, SÃO LUCAS, UFRO ou via PROHACAP/UNIR e etc.. Depois de tantos anos, tomando conta, vigiando, controlando, perseguindo e dedurando os rebeldes  professores para que os mesmos cheguem sempre no horário,  obedeçam como cachorrinho adestrado a diretora da Escola e os programas enviados de "güela a baixo" pelas  Representações de "Ensino", muitas das nobres supervisoras das Escolas Públicas de Rondônia, finalmente, terão seus "serviços" reconhecidos pelo Estado de Rondônia....

UM IRMÃO E COMPANHEIRO NO BOM COMBATE: LUÍS ALBERTO DE ABREU

Imagem
Luís Alberto de Abreu é como um irmão para mim.
Conhecemo-nos lá por 1971, quando, ainda traumatizado pela prisão, tortura e adiamento  sine die  das minhas perspectivas de ver concretizada uma sociedade igualitária e justa, eu tentava me reencontrar com a vida, de repente tornada tão cinzenta.
Nem me lembro mais como se deu o primeiro contato, provavelmente graças a nosso amigo comum Douglas Salgado. Mas, logo estávamos nos falando e visitando. Ele morava em São Bernardo do Campo e ainda não decolara.
Assisti à última peça do grupo de que o Luís participava, Doces e Salgados, encenada no belo teatro daquele município: Tempo dos Inocentes, Tempo dos Culpados. Era um timaço: ele, a Rosi Campos, o Ednaldo Freire, o Calixto de Inhamuns. Não me lembro se também a Jussara Freire, a atraente esposa do Ednaldo, que acabaria se destacando na TV e nas pornochanchadas  soft  paulistas .
Era uma peça (creio que criação coletiva) na linha do Arena, de Brecht, do teatro engajado na luta contra a tiran…

Professor, peça de fácil reposição

Imagem
Não é somente em Rondônia que a figura do "professor" é descartável. Fato comprovado pela postura positiva do atual governo do Confúcio Moura para com os policiais recentemente. Postura que difere com a que esse Estado sempre deu aos auleiros concursados com o título de "professor", cuja figura é de fácil reposição. Basta contratar  emergenciais como o Estado costuma fazer. Que o texto da Ana possa nos ajudar a nos entender nesse fim de mundo que o Reporte-Record não mostra na TV. Peixoto. ...
por Ana Carolina Martins da Silva*
Nós nos sobrecarregamos com a discussão político-pedagógica de nosso ambiente de trabalho, com a discussão do mundo, com a salvação das baleias, dos afogados, dos desprotegidos, lutamos pela paz mundial, pelo bom aprendizado e pela construção das mais diversas áreas do conhecimento, por laboratórios, por merenda escolar. Nós nos dedicamos tanto a construir e ajudar aos nossos educandos a se construírem que nem nos lembramos de nós mesmos. A mis…

REVOLTA ÁRABE: LIBERDADE, AINDA QUE TARDIA

Imagem
Ao ler que outro tirano bestial dos países árabes promoveu, na 6ª feira que para nós foi santa, outro massacre bestial, veio-me à lembrança a frase com que Edgar Allan Pöe iniciou seu soturno conto Metzengerstein:
"O horror e a fatalidade têm tido livre curso em todos os tempos. Por que então datar esta história que vou contar?" Só que há, sim, um motivo para termos bem presente a data em que os Gaddafis e al-Assads tentam perpetuar-se no poder por meio das mais repulsivas carnificinas.
É que as lutas pela liberdade, em nações que não perderam o trem da História, aconteceram no final do século 18 e ao longo do século 19.
A sensação é de déjà vu. Parece que embarcamos num túnel do tempo, de volta a um passado autocrático que não deixou nenhuma saudade, para assistirmos à tomada de Bastilhas que há muito já deveriam ter virado pó.
E pensar que  ainda existem alguns tacanhos ditos de esquerda, capazes de, em nome de uma racionália tortuosa e também ancorada num passado execrável (o …

Educação e Capitalismo

Imagem
Alberto Lins Caldas*
      A educação está morta. Defendê-la, da maneira em que está, é aliar-se às causas da decomposição. A Educação, o Ensino, a Cultura, a Inteligência estão mortas. Mas de uma morte estranha. Continuam como se não estivessem mortas. Fedem, mas não a enterramos. Queremos resolver a questão da educação, criando uma teoria da Educação, ou criando uma “comunidade Educativa” onde o mal não possa chegar. Temos que principiar aceitando que a Educação morreu. Pensar a “sociedade” que a destruiu e para quê. De outra maneira, trabalharemos dentro de um corpo decomposto: assumiremos sem querer o discurso que matou e arrasta o cadáver da Educação. Sem cérebro, ela aponta para o coração do próprio capitalismo e é exatamente aí que queremos chegar, mas ele não está num só lugar, mas em todo canto. Todo lugar é o capitalismo. Tudo é só o capital e seus véus.
     A Educação, como a realização do universo social no indivíduo, criando a singularidade ou sua possibilidade, espírito v…

CONVOQUEMOS O PLEBISCITO CERTO. PARA QUE ANGRA NÃO VIRE FUKUSHIMA

Imagem
Como escritor e jornalista, Carlos Heitor Cony é dos melhores que temos.
Algumas atitudes do homem foram decepcionantes, mas ninguém é perfeito. Suas avaliações de assuntos que não o envolvem pessoalmente continuam sendo das mais consistentes. Portanto, devem ser lidas e consideradas.
Como a da coluna desta 3ª feira (19), Os plebiscitos, na qual faz restrições à proposta de um referendum sobre o uso e a venda de armas, contrapondo-lhe um problema em que a consulta aos cidadãos se faz realmente necessária e premente: "O governo promete ampliar a energia nuclear concluindo Angra 3 e construindo mais quatro usinas, isso numa época em que países mais industrializados, como a Suécia e a Itália, estão desativando seus programas nucleares. O governo da Alemanha também estuda a possibilidade de reduzir ou acabar com suas usinas.
O investimento é vultoso (pelo menos R$ 8 bilhões cada uma) e os riscos de um acidente como o de Three Mile Island (1979), de Chernobil (1986) e, agora, o de Fukush…

UM IDEÁRIO PARA A REVOLUÇÃO DO SÉCULO 21

Imagem
Em sua coluna dominical -- Adeus, Fidel; adeus, silêncio? --, o veterano jornalista Clóvis Rossi aborda as "reformas econômicas que transformarão a ilha caribenha", a serem aprovadas hoje (17), no 6º Congresso do Partido Comunista Cubano.
Segundo ele, o corte de um quinto dos postos de trabalho no setor público e o estímulo à criação de um setor privado capaz de absorver tais trabalhadores implicarão a abertura do regime cubano: "às reformas econômicas que serão lançadas hoje seguir-se-á a prazo relativamente curto a reforma política".
Ele especula que a construção do porto de Mariel, financiada pelo Brasil, "só tem sentido se for para exportar para os Estados Unidos".
E,  como queria demonstrar, conclui: "Se é assim, implica o restabelecimento de relações, com todo o cortejo de consequências".
Se os palpites de Clóvis Rossi estiverem certos, preparemo-nos para a grita ensurdecedora da imprensa burguesa, festejando a capitulação da pequenina ilha a…

MÁRTIR DA INDEPENDÊNCIA OU HERÓI REVOLUCIONÁRIO?

Imagem
“Brecht cantou: ‘Feliz é o povo
que não tem heróis’. Concordo.
Porém nós não somos um povo
feliz. Por isso precisamos de
heróis. Precisamos de Tiradentes.”
(Augusto Boal, “Quixotes e Heróis”)
Será que os brasileiros sentem mesmo necessidade de heróis, salvo como temas dos intermináveis e intragáveis sambas-enredo? É discutível.
Os heróis são a personificação das virtudes de um povo que alcançou ou está buscando sua afirmação. Encarnam a vontade nacional.

Já os brasileiros, parafraseando o que Marx disse sobre camponeses, constituem tanto um povo quanto as batatas reunidas num saco constituem um saco de batatas...

O traço mais característico da nossa formação é a subserviência face aos poderosos de plantão. Os episódios de resistência à tirania foram isolados e trágicos, já que nunca obtiveram adesões numericamente expressivas.

Demoramos mais de três séculos para nos livrarmos do jugo de uma nação minúscula, como um Gulliver imobilizado por um único liliputiano.

E o fizemos da forma mais…

SEM TESÃO, ACABA-SE A PROFISSÃO...

Imagem
1-Hoje eu não tenho mais tesão, pior, nervos para encarar uma sala de aula lotada e ver tantas sacanagens praticadas diariamente por outros colegas que convivem conosco, que se aliam a satanás para se dar bem à custa dos seus semelhantes. Que dedura, se vende para ser o primeiro a sair de férias e o último a retornar para o trabalho. Que vive extorquindo dinheiro dos alunos em troca de pontos na média sob o pretexto de promover projetinhos fraudulentos. Que conspira e debocha contra quem tenta agir com decência.
2-Além de ter que conviver com tantas dificuldades dentro das escolas públicas e com gente dessa laia, é difícil ter nervos para suportar tantas besteiras que se faz dentro delas. É festinha junina, semaninha da cidadania e etc. que o ex-prof. Diogo cita em seu texto. E o resultado é nos tornarmos cínicos, céticos ou buscar outra saída fora dessa distopia chamado escola. O ex-professor Diogo preferiu sair. Oxalá que um dia eu possa fazer o mesmo. Eu já tive um sonho em que fica…

O Instituto Dom Barreto em Piauí: o modelo duvidoso que o Confúcio Moura imagina para as escolas públicas de Rondônia

Imagem
Eis um edital mostrando o quanto é vergonhoso ser professor no Estado onde existe a tal escola modelo do senhor Governador


1- No sábado passado dia 09 de abril no programa Via Sat TV que falava acerca dos 100 dias de governo Confúcio, o entrevistado foi o próprio Governador que, entre vários temas, citou uma escola no Piauí como o modelo que ele gostaria de ver funcionando em Rondônia. Ele citou, com muito entusiasmo, o caso do Instituto Dom Barreto em Piauí que ficou entre as melhores escolas do Brasil pelo excelente desempenho no ENEM. Disse mais ou menos assim em relação a ela: “Aquilo é que é escola! A escola que eu gostaria que as nossas escolas públicas fossem...”
2- Pesquisando melhor na net para checar se o “fabuloso” exemplo citado por vossa excelência tinha procedência, descobri que o tal Instituto Dom Barreto em Piauí, de fato, é uma instituição de boa qualidade mesmo e que teve bom desempenho no ENEM como ele citou. O governador falou a verdade, mas, não toda ela. Ele omitiu…