Postagens

Mostrando postagens de Setembro 13, 2011

Peixoto: Cálice! Uma versão especial da música do Chico Buarque na letra de um professor, “amigavelmente” censurado.

Imagem
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga
Tragar a dor e engolir a labuta?
Mesmo calada a boca resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa?
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força, discretamente, bruta

Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como é difícil ficar calado
Se na calada do expediente eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado
Esse cinismo todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na portaria ou na cozinha, prá a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa

Confúcio! Afasta de mim esse cálice
Confúcio! Afasta de mim…