"MENSAGEM A UM DESCONHECIDO..."


Como diz Rubem Alves: "Ler é canibalizar um texto". Eu sou um texto. "Nós somos cartas vivas", disse Paulo, o Apóstolo.

Teu bom pensamento longínquo me emociona. Tu, que apenas me leste, acreditaste em mim, e me entendeste profundamente. Isso me consola dos que me viram, a quem mostrei toda a minha alma, e continuaram ignorantes de tudo que sou, como se nunca me tivessem encontrado.


Cecília Meireles Fevereiro, 1956.
In: Poesia Completa. Dispersos (1918-1964)


1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

CABECINHAS ENVENENADAS!

CARTA ABERTA À ADVOGADA GERAL DA UNIÃO