A greve de sempre que os eternos dirigentes do SINTERO querem realizar!


Com esse "sinal"Claudir e sua turma vencerá mais uma...


1. O infeliz orçamento deixado pelo governo Cahulla e aprovado pela Assembléia Legislativa para o ano de 2011 não permite dar o aumento salarial tão desejado por toda categoria. Parece que só prever margem de aumento do governador e seu secretariado. Aumento consubstanciado no famoso CDS 21. Sabedores disso, os integrantes do alto-clero da direção do SINTERO vai mesmo propor a greve de sempre como resposta a suposta impossibilidade do governo de atender as reivindicações da categoria nas assembléias que irão acontecer na próxima semana. Claudir, Nereu, João Duarte, Haroldo, Manuelzinho e demais sindicalistas profissionais da alta cúpula da direção do SINTERO já tem o discurso pronto. Os integrantes do baixo-clero dessa direção estarão misturados aos participantes da assembléia fermentando suas cabeças a concordarem com a proposta dos seus chefes e a vaiarem as falas dos dissidentes. Ou seja, o circo já está armado, pronto para o show. Vai ter mesmo greve! Vou estar lá para assistir ao show. Mas não vou sair de lá fazendo a greve que eles irão propor. Por quê?

2. A greve no imaginário da maioria dos trabalhadores da educação significa cruzar os braços. Simplesmente parar de trabalhar e pronto. O resto que se faz é secundário: tem por objetivo fazer os trabalhadores recalcitrantes e céticos também pararem e a sociedade ser informada das queixas dos envolvidos. Daí por diante começa o jogo de quem agüenta mais: se o governo ou os grevistas. A nomenklatura do SINTERO, macaca velha, esperta e manipuladora profissional sempre cultivaram essa mentalidade ao longo dos anos e grande parte da categoria sempre se conformou com ela. O script propostos pelos dirigentes e seguido pelo grande rebanho de crentes e adeptos dessa turma é sempre o mesmo: passeatas, procissões em via pública, enterros simbólicos, acampamento na frente do Palácio ou da Assembléia Legislativa, aparições de elementos da direção na mídia local, Piquet na frente das escolas e abordagem dos céticos dentro delas.

3. Como parte também do velho script, parte do rebanho comerá marmita e parte irá ao shopping passear e fazer algumas compras enquanto alguns dos dirigentes tentarão fazer figuração junto aos parlamentares da Assembléia Legislativa e outros ficarão falando palavra de ordem para alimentar de expectativas os professores e demais trabalhadores crentes ali arrebanhados embaixo de um enorme barracão na sombra. Tudo indica que, entre eles, não haverá outra quebra no roteiro previsto. Não haverá nenhum outro professor Flávio Araújo fazendo greve de fome como fez na greve de agosto de 2007. A direção não permitirá mais manifestações individuais de rebeldia contra o governo: tudo tem que seguir o mesmo velho script de sempre. É ano de eleição da diretoria do SINTERO e nenhuma alternativa de luta que não esteja sob o controle da turma da Claudir não será permitida.

4. É preciso que tudo concorra para o bem da reeeeeeeleição da chapa que sempre “venceu” as eleições desse sindicato. É preciso que os resultados já previstos pela turma da Claudir e Nereu sejam inflados e superdimensionados para que a maioria dos grevistas termine a greve acreditando que se deram bem. Mas, quando quem vai se dá bem como sempre será esse pessoal que se profissionalizaram como eternos sindicalistas dessa categoria. A direção sabe que não vai conseguir que a categoria ganhe o que precisa, que nem sequer vai chegar perto do que precisa. Porque tem consciência que a categoria não é capaz de ir muito longe e de ficar parado o tempo necessário para dobrar a resistência do governo. Sabem que as pessoas que hoje a compõem nunca foram trabalhadas, organizadas e motivadas na base. Eles, melhor do que quaisquer outros induziram ao longo dos anos, a base a agir mais como bons eleitores que como bons lutadores. Logo, basta apenas parar o tempo mínimo necessário para fazer média. Afinal, os bobocas terão todos os sábados para reporem os dias letivos que estiveram parados.

5. Já faz tempo que essa greve que os burocratas do SINTERO fazem ficou manjada, previsível para a cúpula política do Estado de Rondônia, menos para o rebanho de seguidores cegos da turma da Claudir e do Nereu. Ivo Cassol percebeu isso e nada deu durante o seu governo. Pelo contrário, arrochou o parafuso ainda mais. Fez à subserviente e dependente assembléia legislativa de quando Valter Araújo era um simples deputado -off boy- desse governador aprovarem uma regra draconiana que condicionava a gratificação de incentivo ao magistério a exigência da presença absoluta do professor dentro exclusivamente da sala de aula e que pune severamente, independente da justificativa que seja dada a falta do mesmo ao trabalho. Tornando o ambiente de trabalho um horror e a vida de quem está readaptado por motivo de doença mais pobre devido ao desconto que o governo faz do valor em dinheiro da supracitada gratificação em seus salários. É bom que nos lembremos que tais regras foram aprovadas durante a greve com o fim de miná-la como minou. Cassol deixou um modelo de reação às repetidas estratégias de greve cultivada na maioria das mentes dos trabalhadores da educação que sustentam a direção desse sindicato. O governo Confúcio Moura sabe disso e usará isso. Quem ainda não se deu conta é o pessoal que vai embarcar nessa canoa furada.

6. A greve que a turma da Claudir, do Nereu, do Manú, do JD, do Haroldo Buxudo e seus fieis escudeiros vão fazer será a greve pela greve. O parar pelo parar. Seu único objetivo incutido nas mentes do rebanho de seguidores é econômico-salarial e nada mais. Se conseguirem qualquer migalha a mais no salário, voltarão de rabinho entre as pernas, para fazerem o que sempre fizeram na escola. Nada mudará depois disso. A educação continuará sendo a mesma bosta que sempre tem sido e o aulismo continuará sendo seu grande eixo norteador, bem como também, a forma de avaliação continuará sendo a tradicional, talvez feita durante uma semana com provas aplicadas em seqüência para que os professores possam lagar mais cedo da escola. Por tabela, ajudarão também a atual direção a permanecerem à frente do sindicato por mais tempo sob a velha e falsa desculpa que tiveram conquistas reais graças ao talento dessa turma “maravilhosa” de "vencerem" sempre do mesmo jeito como sempre "veceram", egoisticamente, só para si mesmo, as greves que promovem.

Valido a inscrição do meu blog ao serviço de Paperblog sob o pseudónimo peixoto1967

PAPERBLOG




Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

DEPOIS DO VENDAVAL

CABECINHAS ENVENENADAS!