A CUT CAGONA DE RONDÔNIA CRIA CORAGEM, MAS SÓ PARA DEFENDER PRESIDENTA DO SINTERO E O MARIDO DELA


1- Durante o governo CACA [Cassol-Cahulla] sofri contínuos Assédios Morais no exercício do meu ofício de professor de história dentro da E.E.E.F.M 04 de Janeiro nos anos de 2008 a 2009. A então diretora é uma das que o SINTERO classifica de “companheira”. Aparenta ser simpatizante do PT até porque precisa, é conveniente, pois, o prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho, é o seu patrão na SEMED e é do PT. A dita cuja trabalha numa das escolas públicas municipais da capital. O exercício da crítica era algo consideravelmente perigoso na época. A resistência a subserviência por ela exigida mais ainda. O capachismo era a tática de sobrevivência mais usada por muitos iguais a ela e que lá ainda estão trabalhando. A perseguição, o assédio e depois exclusão era o destino certo de todos que se recusavam a dizer amém para os ideais draconianos da “austera” gestora.

2- As pessoas que hoje dirigem o SINTERO vêm de sucessivas reencarnações de um único grupo: o grupo fundador que tinha como seu primeiro presidente ROBERTO SOBRINHO! Este “evoluiu”, virou prefeito, outros vereadores, deputados estaduais, outros caíram em desgraça [Jorge Lourenço, por exemplo,] e outros, uma minoria absoluta, dentro do grupo reencarnaram até chegar ao estágio: Claudir Mata. O PT e a CUT foram os GUIAS orientadores dos passos desse pessoal desde então. A força que sempre os assombrou em Rondônia. Esses GUIAS, ao longo dos anos, mudaram de comportamento para poder ganhar o que sempre buscavam ganhar em suas lutas. O PT, GUIA-MOR, mudou; ficou mais “esperto” e venceu as eleições. A CUT, o GUIA-MOR-MENOR, por osmose também. Seus líderes foram para o governo e para sua base no parlamento federal. Com o SINTERO não foi diferente: tornou-se pragmático também. Mas também broxa e cagão especialmente durante o governo Ivo Cassol seu momento de maior impotência [“broxura”] e no Governo Confúcio Moura, seu momento de maior pragmatismo e até de certo maquiavelismo.
 
3- Esse SINTERO broxa e cagão guiado pelo PT e a CUT local, a título de exemplo, NUNCA, simplesmente, NUNCA se fizeram presente no sentido de inibir e de forçar a existência de uma legislação local de combate ao ASSÉDIO MORAL nas Escolas Públicas de Rondônia. Jamais um diretor de escola foi duramente punido e destituído por assediar algum trabalhador em educação no seu local de trabalho. Jamais fui procurado e assistido por esse sindicato enquanto era assediado pela minha então diretora. Até mesmo a título de pesquisa, esse sindicato alega não dispor em seus arquivos de alguma queixa relativa a isso. Curiosamente, a subsidiária da CUT em Rondônia em uma nota publicada no dia 14/05/2011 num jornal eletrônico local rotula o ex-governador e atual senador Ivo Cassol de “algoz” e faz a seguinte afirmação: “ele perseguiu, desrespeitou e humilhou os servidores; pois além de retirar direitos e ofender militares, Cassol chamou os sindicalistas de “cagões”, em um dos seus inúmeros rompantes e bravatas”. A grande ironia política disso tudo e contradição também, é que esses servidores públicos tão “perseguidos”, “desrespeitados” e “humilhados” foram contemplados pelo maldito Algoz com a Lei de combate ao Assédio Moral Estadual proposta pelo deputado Ezequiel Neiva do PPS, partido da sua base aliada na Assembléia Legislativa na ocasião, que o mesmo sancionou em 10 de janeiro de 2008. A CUT, o PT e o SINTERO além de não terem protagonizado isso, jamais disso fizeram bom uso. Não tiveram “culhões” para isso! De acordo com o raciocínio cassolista: o governo deu-lhes a arma e eles não a usaram. Cagões!

4- No entanto, na Escola Quatro de Janeiro me lasquei assim mesmo, apesar da lei. Eu me lasquei só! E olha que lá dentro eu podia contar com a nobre Idalina da CUT e a esposa do ex-deputado supracitado, hoje membro da nomenklatura do SINTERO que trabalha lá. Mas, tive o azar delas serem amigas da minha assediadora! Diante desse e de outros fatos similares: EVITARAM SABER! CALARAM-SE! OMITIRAM-SE! FINGIRAM QUE NÃO ACONTECIA! PIOR: QUE NÃO EXISTIA! Resultado: readaptação e remédio controlado! Por isso, a nota da CUT soa cínica e hipócrita. Não que durante o citado governo nada do que disseram que aconteceu não tenha alguma quantidade de verdade. Pelo contrário, há muita verdade nessas acusações! Não obstante, a questão principal aqui é que a CUT e o SINTERO pecaram mais que o citado governo. Foram, sacanamente, incompetentes, fingiram-se de burros e tiveram medo de fazer o que de fato era preciso ser feito para enfrentar e talvez derrotar tão “horroroso algoz”. Mas, não fizeram! Pois precisariam voltar a uma prática, a uma combatividade e um trabalho efetivo nas bases: algo perigosíssimo por ameaçar a eterna permanência da turma que vem dirigindo o sindicato desde seu surgimento e também inimaginável para o pragmatismo eleitoral petista e cutista que os guia e possibilitou a eleição do Lula presidente. Neste sentido: foram mesmo, como disseram que o Ivo Cassol disse: “cagões”.
 
5- Ao se filiar a Central Sindical Internacional (CSI), dirigida pelo Partido Democrata dos Estados Unidos e que apoiou a invasão do Iraque e ao fornecer quadros para o governo federal do PT a CUT se tornou uma central colaboracionista. Perdeu fôlego e o tezão para muitos de dentro da base. Mas precisa ser discreta, se disfarçar. Através da sua secção de Rondônia tenta mostrar isso. Fingi que é de luta. Por isso vem a público defender com ardor sua colaboradora principal: a presidenta do SINTERO e o maridinho dela. E, tentar convencer, quem sabe, os trabalhadores em educação que ao falarem mal dele, estão falando mal dela e, por osmose, de toda a categoria. Como se a maioria dos trabalhadores da educação estivessem na mesma situação dele coitadinho: “Fodido e mal pago” recebendo um salário igual ao que ele recebe dentro da EMATER que na era Cassol ainda era melhor que dos professores. Agora que, no governo Confúcio Moura, o cabra é mais premiado que os trabalhadores que a mulher dele jura de pé junto defender, a CUT faz beicinho e joga essa nota sebosa engrandecendo supostas conquistas para ofuscar o fato as custa de uma suposta fala de um roceiro rico que quando era o governador, ela e o SINTERO não se metiam a besta. CUT cagona!

REFERÊNCIA:
 http://www.tudorondonia.com.br/noticias/algoz-dos-servidores-por-8-anos-cassol-ainda-se-acha-no-direito-de-criticar-claudir-mata-do-sintero,21919.shtml



paperblog


Valido a inscrição do meu blog ao serviço de Paperblog sob o pseudónimo peixoto1967

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

DEPOIS DO VENDAVAL

CABECINHAS ENVENENADAS!