As palavras...




As palavras são objetos plasmáveis, ideoplásticos, musicais.
Apalpadas, moldam figuras;
Sopradas, produzem voz;
Atritadas, soltam centelhas, chamas incendiárias.
O artista, em seu ofício, debruça-se sobre elas: desmonta-as, reinventa-as, dá-lhes novo ser.
Busca, como o pintor materista, esmagá-las sobre o suporte. Joga-as umas contra as outras.
Seu intento?
Que elas centelhem. Que tragam de dentro sua luz.
E que essa luz alargue os limites da realidade.
Que nos façam adentrar a instância da Arte.
Num mundo absoluto.
Na Poesia.

Fonte: Carlos Pequeno do Espírito Santo,
in Eu-lírico nº 7 - zine-colagem - 1997


1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

DEPOIS DO VENDAVAL

CABECINHAS ENVENENADAS!