Hipocrita.



—Sempre existiu e existira o hipócrita na vida pública e nos espaços políticos de todas as sociedades ao longo da história. Enfim, em qualquer lugar. Não temos como escapar dessas hienas. Não seria diferente a existência de um desses no senado brasileiro. Mas, há dois espaços especiais para mim onde a existência desse energúmeno é mais danosa a sociedade, as pessoas individualmente: nas instituições religiosas cristãs e depois nas instituições políticas, tais como da Câmara de Vereadores ao Senado.

—É claro que em qualquer espaço a presença do hipócrita é maléfica, mas, nos espaços que destaquei provocam muito mais estragos. No caso das Igrejas Cristãs, por exemplo: os hipócritas podem ser até “Malafáianos” na sua verborragia arrogante, podem ser “Macedianos” e “Valdomirianos” no seu apego ao dinheiro, “Valter Araujianos” e “Epifanianos” no seu cinismo e “Robertianos” na sua safadeza. Não importa o sobrenome que as Igrejas Cristãs levem consigo hipócritas existem aos montões dentro delas, especialmente em cargos de liderança. Todos carregando em suas palavras [mal] ditas o açúcar que é servido às moscas e nas suas ações o disfarce da coisa pública quando, na prática, se valem desse espaço fácil para conseguirem satisfazerem seus interesses pessoais, privados e nada mais. Desde quando o cristianismo começou a se tornar universal a partir do Império Romano no século 04 da Era Comum até os dias de hoje, a Igreja, a forma institucional, social dessa fé se manifestar ao longo da história tem sido um espaço onde mais se fala de deus e onde mais se faz o contrário do que dizem que ele nos ensina. Quer aprender a ser hipócrita? Vá a qualquer Igreja Cristã. Este é um bom começo onde há cristãos devorando e parasitando cristãos. Irmãos em cristo enricando à custa de outros irmãos. Aí se aprende a fazer política e negócios usando o santo nome. Já observou ao longo da história como isso vem acontecendo? Desde a venda de relíquias na Idade Média a venda de velas pra procissões, imagens, Bíblias, CDs e DVDs de cantores gospel, camisas nos dias de hoje. E nessas relações ninguém quer perder, logo a hipocrisia sempre foi útil nesses santos espaços.

—No caso das instituições políticas, tais como da Câmara de Vereadores ao Senado a desgraça do hipócrita afeta muito mais gente do que na religião. Porque são espaços de tomadas de decisões que atingem a todos direta e indiretamente sem distinção alguma. É claro que com efeitos diferentes dependendo da classe social que a pessoa se encontra situada. Dentro dessas instituições políticas, não escapam partido político algum. Ô lugares danados para terem hipócritas! A questão é saber mensurar a quantidade dentro deles na esperança de que sendo minoria em alguns desses partidos, possamos ter a esperança de que as decisões sejam, de fato, republicanas. Como isso é difícil de ser feito, ficamos a mercê de figuras como o senador Demóstenes Torres dos Democratas, ou simplificadamente, do DEMO. É curioso este apelido para o seu partido. Será que tem algo haver com o fato dele ser um hipócrita? Creio que não, porque, no PT, Partido dos Trabalhadores, onde até pouco tempo atrás muita gente acreditava ser eticamente puro, foi descoberto casos de hipocrisia, logo, isso não se trata de sigla partidária, mas de postura mesmo de seguimentos sociais que se valem desses meios para se garantirem seus interesses privados.

—Igrejas Cristãs, Câmaras de Vereadores, Deputados Estaduais, Federais e Senado, instituições de forte relevância social e de difícil e lenta mudança radical nas mãos dos hipócritas ou sob a hegemonia desses, quem perde não são apenas os fieis dessas Igrejas e nem os políticos que tentam ser honestos, mas a maioria da sociedade que alem de perderem a fé na eficácia dos valores éticos, tornam-se menos cidadão e muito mais ovelha pronta para o abate desses predadores que precisam ser denunciados, combatidos e extirpados dos espaços de poder. Porém fica a questão: como fazer isso?


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

DEPOIS DO VENDAVAL

CABECINHAS ENVENENADAS!