Eu sou muitos!


Sei que curtir, compartilhar, comentar e até ficar em silêncio é se posicionar. O que não falta nas redes sociais é gente que leem e não se manifestam crente que assim agindo não estão tomando partido de ninguém. Lamento informar: estão se posicionando sim! Os silêncios têm muitas formas já dizia a professora Eni Puccinelli Orlandi no seu trabalho: Formas do silêncio [1997]. Não obstante, por causa das minhas curtidas, postagens, compartilhamentos e até dos meus silêncios há quem diga e jure de pé junto que eu sou um PETISTA e RADICAL.
Ora, pois, até parece que o PT seja o único dono dos valores que defendo e acredito. Até parece que os que assim me julgam não compartilhem um ou outro desses mesmos valores. Muitos gostam do que eu gosto, muitos acreditam no que acreditam e muitos sonham o que eu sonho. Por isso eu sou muitos, inclusive nos meus erros.

Não posso negar que votei no PT, mais somente isso me faz um petista? E um Radical? Eu nunca fui filiado a partido formal algum. Pelo o menos até agora. Tomar partido, se posicionar socialmente não quer dizer necessariamente que sou fiel, filiado ou recruta de algum partido. Quer dizer apenas e tão apenas que amores, valores, sabores, ideais, sonhos, paixões, tezões, projetos e visões é que aproximam pessoas e instituições. Logo, sou próximo de quem se aproxima de mim, de quem reflete de forma agradável o que penso e o que sou e nada mais. Como Rubem Alves costumava dizer na sua crônica intitulada “A Madrasta e o Espelho”:

“Amamos as pessoas não pela beleza que existe nelas, mas pela beleza nossa que nelas aparece refletida. O que é uma bela pessoa? É aquela em que nos vemos belos. Quando, ao contrário, o espelho encantado nos mostra uma imagem feia, vai-se o amor e o espelho ou é quebrado ou é colocado permanentemente num quarto de escuridão permanente. Não mais o queremos ver”.

Sendo assim, só posso dizer que sou quem se assemelha a mim. Neste sentido serei muitos, serei petista, batista, osvaldista, peixotista, papista, esquerdista ou qualquer outro “ista” se e somente se nesse “ista” refeletir alguma beleza que vejo em mim.
Ora, se eu mesmo, tivesse de me rotular, preferiria me rotular como o cara que ama. Amo a simplicidade, a vida, a beleza, a poesia, a história, a natureza, a reverência pela vida, os mistérios, a justiça, a divisão das riquezas socialmente produzidas, a democracia, a igualdade social. Estou aprendendo a amar a Literatura e, por fim, amo as coisas que dão alegria.

Para mim, amar tudo isso não significa ser filiado à instituição alguma, a nada. Por isso não sou petista e nem qualquer outro “ista”. Contudo, se amar tudo isso significa ser alguma coisa, talvez, eu seja um humanista. Ora, se mesmo assim, amar isso tudo significa ser um Petista Radical, então, amigos, sou um PETISTA RADICAL.


Será que você compreendeu Tiussi, Vergotti, Gomes, Moreira e Cia LTDA? 
DesProf.Peixoto
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

O OUTONO DO PATRIARCA CHEGA AO FIM: FIDEL CASTRO ESTÁ MORTO.

DEPOIS DO VENDAVAL