DIÁRIO DO EXÍLIO -03

Sábado, 30 e domingo, 31/01/2010

Impressões momentâneas.
1. Só para não passar em branco, neste sábado fui convidado pelo meu cunhado a assistir a reunião do diretório municipal do PT. Não havia 30 ouvintes contando conosco.
2. A reunião estava de certa forma, organizada. Havia uma pauta definida e tempos bem cronometrados. Mas não vi nenhuma leitura da ata da reunião anterior e nem registro em ata da presente reunião. Os temas principais foram às eleições de 2010; a instalação da CPI pela câmara de vereadores para investigar denúncias contra o prefeito em exercício pelo grupo da ex-prefeita Milene Mota e a prestação de contas.
3. Resumidamente, todas as falas no tocante ao primeiro tema revelaram mais as fraquezas do partido que as suas virtudes. Há um desejo que haja um deputado estadual da região, isto é, de Rolim. Mas uma confusão quanto à questão da candidatura. Há quem defenda uma só de consenso e há quem, veementemente, defende o oposto. Tal preocupação se estende ao resto do Estado. Pude perceber também queixas sutis a tendência do diretório estadual favorecer nomes da capital a despeito do ou dos nomes desejados pelo interior.
4. O PT parece agir sempre em cima da hora. Não se prepara para embates futuros com a devida antecedência; não se cacifa e desperdiça potencial ao não concentra toda a energia em poucos nomes de peso, de consenso, que, de fato, represente o partido e a vontade da população. Muitos de seus integrantes continuam tratando o mandato como se fosse do candidato eleito, não do partido. Há guerrinhas ridículas movidas por egoísmos, individualismos e vaidade pessoal na hora de se pensar em nomes. Tive a impressão, que no fundo do fundo, na prática, o partido é de aluguel para muitos dos filiados interessados em ser alguma coisa pública.
5. O que vi e ouvi não me dar nenhuma esperança para o futuro próximo. Não acredito que o PT irá ampliar o número de deputado na assembléia legislativa e manter o número de deputado federal. É muito chefe para poucos índios! Talvez suas fragilidades expliquem melhor sua política de aliança que suas virtudes. E o pior é o tipinho de gente que se propõe a alguma coisa. Ouvi da boca de um dos participantes que a Claudir, presidente do SINTERO está saindo candidata à deputada federal. Sendo esta informação verdadeira, a categoria dos trabalhadores em educação no mínimo, para não dizer a sociedade, ta lascada. Pois a única coisa que ela representa bem é ela mesma e a patota que ela lidera na direção da entidade. Como alguém que não conquistou nenhuma melhoria significativa para a categoria que diz representar tem tamanha cara de pau de pedir voto a ela no mínimo? O salário dela de professora deve ser bem melhor que o meu para bancar tal empreitada...
6. Por fim, por enquanto o que vi e ouvi não me permite esperar nada do partido. Mas, uma coisa boa que posso dizer: há gente que acredita; há crentes e devotos dentro do partido e também gente séria e cheia de sabedoria que, a meu ver, o partido poderia explorar mais e que perde muito quando assim não age. É o caso de um velhinho simpático que vi lá na reunião. Soube que ele tem muitos anos de militância e é envolvido ainda com CEBs . É o senhor João, o pai do Juscelino. Ô veio sábio!
7. Esses são os pensamentos que apareceram a mim entre o sábado e o domingo final de janeiro. Por fora, Iza minha esposa fez um almoço neste domingo para o pessoal dela, mas não saiu como ela esperava. Penso que ela está começando a ver, que quando se trata de família, fica difícil sermos tão extensivo como ela ainda acredita que podemos ser. O que pude perceber é que ao invés de uma fusão imaginada, o que a realidade mostrou foi um COM-fusão.
8. Outra coisa que me impressionou neste fim de semana foi o custo da nossa feira mensal. Chegou a 500 reais fora à mistura. O custo de vida aqui é muito caro, temo, se a situação financeira não mudar para a melhor, a nossa situação aqui ficar muito crítica a partir do momento em que ter que pagar o aluguel também. Pois, por enquanto estamos sendo patrocinados pela irmã da Iza. Este é o meu principal pesadelo no momento.
9. Amanhã retorno ao trabalho, mas não sei para onde vão me lotar. Espero, por hora, ser lotado na representação de ensino e complementar o horário na escola vizinha da REN local.
10. Por fim, fica registrado o choro do meu sobrinho, loirinho da África, Mateus. Nascido no dia 26 último. Ouvi pelo telefone. Foi engraçado. O negãozinho tem uma goela poderosa. Há, senti uma saudade da minha mãe Peixotona, ....até a próxima.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

O OUTONO DO PATRIARCA CHEGA AO FIM: FIDEL CASTRO ESTÁ MORTO.

DEPOIS DO VENDAVAL