Camisa de Força


Estou preso,
Pelo crime de usufruir da minha própria razão.
Estou preso,
Pela piada de reverter minha indignação.
Estou preso,
No labirinto em que todas as saídas me levam ao lamento.

Estou;
Chicoteado pela falsidade.
Espancado pela ambição.
Esquartejado pela ignorância.
Estuprado pelo meu desafeto.

Essa camisa de força [sínica];
Me tira do frio da vida.
Sem perceber me leva para o fundo,
Cada vez mais próximo do calor do inferno.
Estourado como uma bomba,
Meus contrastes me prejudicam,
Mas o tempo,
tempo de conhecimento;
Um dia irá rasgar essa camisa.
A camisa de força.
Texto de RAMON MULIN
Fonte: http://ramoncloud.spaceblog.com.br/74890/Camisa-de-Forca/?erreur=login
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

CABECINHAS ENVENENADAS!

CARTA ABERTA À ADVOGADA GERAL DA UNIÃO