É Fátima Cleide...Esse é o seu PT? - "PT abandona companheiros", diz ex-militante

Leonaldo Guedes Souza, 43
Nota do blogueiro:
Este cidadão sempre esteve ao lado do "ex" sindicalista e atual venereador Josè Wildes, mas parecia um guarda costa, um segurança deste "pobre coitado" professor-vereador e monge petista. Se alguém puder passar na casa dele, lá no conjunto Aponiã na capital de Porto Velho, poderá constatar como é "pobre", "sem dinheiro" e como é "pequenina", "apertada", "feia" e "humilde" o "casebre" que o mesmo reside. Dá prá chorar com o que se pode ver lá! José Wildes leva uma vida franciscana, mesmo assim, tinha Leonardo sempre na sua cola, bem como um tal "Mineiro", um "corretor de vendas" de imóveis públicos que ninguém sabe por onde anda. Eis, portanto, o relato de uma pessoa que pensava ser militante, mas, na prática, sempre foi tratada como um otário, uma formiga a serviço de uma legenda que perdeu seu antigo valor. Ainda querem que eu o imite. É ruim em!!! Eis então a matéria encontrada numa pesquisa casual.

Ex-militante faz um desabafo sobre 19 anos de dedicação ao partido e fala sobre o perfil de alta cúpula do partido que atualmente controla o partido em detrimento dos militantes que são usados apenas como mão-de-obra barata.

 Militância ininterrupta no Partido dos Trabalhadores da capital (PT), o servidor público Leonaldo Guedes Souza, 43, resolveu se desfiliar do partido e tecendo declarações corajosas à respeito de vários membros da cúpula da sigla em Rondônia. Leonaldo nunca foi candidato a nenhum cargo político, mas esteve presente nas principais lutas travadas pelo partido nos últimos anos.

É apenas mais um que deixa o partido desiludido e com sentimento de revolta por ter sido traído e preterido. “Hoje, no PT de Porto Velho, só tem vez o militante que tem padrinhos políticos. O restante serve apenas de trampolim nas campanhas eleitorais e nas mobilizações em prol de categorias representativas que são do mesmo grupo político”, diz ele mostrando certo ar de indignação.

Leonaldo, muito conhecido na Câmara Municipal, onde trabalha como comissionado, diz que tem razões de sobra para ir à imprensa e manifestar seu pensamento sobre seu ex-partido. Segundo ele, são poucos os militantes do PT que ainda respeita a militância, citando como exemplo, o vereador José Wildes, Inácio Azevedo e José Neumar. “São políticos que ainda procuram manter suas ideologias e honestidade, perfis que a maioria dos petistas perderam ao longo do tempo”, ressalta.

O último fiasco, segundo Leonaldo, praticado pelo PT foi a festa feita pela senadora Fátima Cleide em ´homenagem´ à militância, Mirante 2 ½, no último sábado (13.06). “Depois oito anos, a senadora resolve fazer uma festa para a militância. Para mim, a ´homenagem´ é uma forma de se ´limpar o escudo´ e preparar a mão-de-obra barata que são os militantes para a próxima eleição. E olha que a festa não foi de graça, pois os militantes tiveram que pagar a cerveja”, ironiza. (veja convite da festa abaixo)

 

Leonaldo citou ainda o fato de ter sido ´dizimista´ do partido por vários anos. Naquela época, lembra ele, o partido era movido por ideologias igualitárias, defendendo o trabalhador, o que fazia o diferencial do PT em relação aos outros partidos. Hoje, segundo Leonaldo, o PT de Porto Velho está ao lado dos patrões, chegando ao cúmulo de querer proibir e retalhar atividades mototaxistas na capital. “Não sou a favor do trabalho ilegal, mas do pai de família que procura trabalhar”.

“Esse não é o PT por quem me apaixonei, militei, briguei, apanhei durante tantos anos. O PT com quem eu sonhei um dia pode ser que ainda exista, mas em outro Estado, não aqui. Hoje, o que manda no PT na capital e em Rondônia é o status, o poder. Demorei muito para compreender isso, mas hoje estou certo de ter deixado o partido na hora certa, sem ressentimentos”, declarou.

Numa das últimas reuniões interna do PT em Porto Velho em que participou, Leonaldo questionou alguns militantes que hoje possuem um padrão de vida muito superior em relação a cinco anos, antes de assumir cargos na Prefeitura da capital. “Lembro-me que naquele dia cheguei a perguntar aos figurões sobre carrões, mansões em somas vuluosas gastas em eleição. De onde veio tanto dinheiro?, questionei. Não me responderam nada, e ainda fui motivo de chacota na reunião. Esse é o PT de quem vos falo”, ressaltou.

Aos militantes do PT, Leonaldo deixou um recado: “Não abandone sua família. Depois que você entra na militância, você vai trabalhar para servir aos poderosos do partido até que você não tenha mais utilidade. Curta bem sua família, cuide bem e viva para ela. Não caia na besteira de ser um idealista porque o final será o esquecimento”, disse.

Leonaldo finalizou dizendo que poderá ser vítima de suas declarações, porém não tem medo de externar suas opiniões sobre seu ex-partido. “Eles podem até querer falar algo de mim, como fizeram com outros que também saíram, como o Raimundo Nonato (CUT), que tanto fez pela militância. Se isso acontecer, o PT mais uma vez vai mostrar sua verdadeira face que é a perseguição. A estratégia do PT é sempre essa atacar para se defender”, finalizou.


Fonte pesquisada em 26/04/2012: http://www.impactorondonia.com/php/impressao.php?id=4651
©DesProf.Peixoto
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

CARTA ABERTA À ADVOGADA GERAL DA UNIÃO