Edite de Lima Peixoto:"A Peixotona Suprema!"


Tomo como minhas a letra da canção de Lulu Santos: "Tão Bem" para homenagear esta paciente, determinada, lutadora mulher e mãe que não só criou, educou a mim e meus irmãos, como seus netos. Não tinha essa obrigação, mas se obrigou por consideração, amor por uma filha que nunca, pelo o menos até agora, teve a mesma consideração por ela. Quando olho para minha irmã, fico quietinho e humilde como ser humano por reconhecer que um dos maiores defeitos de quem se pensa como um professor é a prepotência. É acreditar que pode mudar os outros com a educação que lhes presta. Não nada disso! Quando a prepotência vem chegando, lembro-me da Gil e fico quieto, baixo a bola! Mudo minha visão do que é ser professor. Nesse momento lembro-me da minha mãe. Pois, para ser professor de verdade tem que ser como ela: aguentar, tolerar, apoiar, torcer pela melhora do outro, tentar ajudar, apontar saídas, suportar ingratidões, injustiça, explorações e acima de tudo acreditar que as coisas podem mudar. Assim vejo a minha mãe, assim quero me espelhar nela para poder ter a longevidade e poder sorrir deliciosamente como ela sorri nessa foto ao lado dos netos. Delícia de sorriso! Minha mãe: ela me faz tão bem, sua imagem e memória me faz tão bem. Que eu também quero fazer isto por ela...

Eis a letra, eis a Edite, a Peixotona Suprema!


Tão Bem
Lulu Santos


Ela me encontrou


Eu tava por aí


Num estado emocional tão ruim


Me sentindo muito mal...


Perdido, sozinho


Errando de bar em bar


Procurando não achar


Oh Yeah! Yeah!...


Ela demonstrou tanto prazer


De estar em minha companhia


Eu experimentei uma sensação


Que até então não conhecia


De se querer bem


De se querer quem se tem...


E Ela me faz tão bem!


E Ela me faz tão bem!


Que eu também quero


Fazer isto por ela...


Ela me encontrou


Eu tava por aí


Num estado emocional tão ruim


Me sentindo muito mal...


Cansado, perdido, fudido


Errando de bar em bar


Procurando não achar


Oh Yeah! Yeah! Yeah!...


Ela demonstrou tanto prazer


De estar em minha companhia


Que eu experimentei


Uma sensação


Que até então não conhecia


De se querer bem


De se querer quem se tem...


E Ela me faz tão bem!


Ela me faz tão bem!


Que eu também quero


Fazer isto por ela...


©DesProf.Peixoto: primeiro filho da Suprema Peixota.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

CARTA ABERTA À ADVOGADA GERAL DA UNIÃO