Uma razão para minha tristeza


O Golpe do dia 17 de Abril matou qualquer esperança de se promover a democracia dentro da ordem vigente. Ele provou que tal ordem não a respeita quando a ela- a democracia- de alguma maneira ou outra coloca em risco seus maiores beneficiário! O impeachment foi um artifício ardiloso para punir apenas um para salvar os demais de algo que todos tiravam proveito, a corrupção. O impeachment ocorre para salvar a corrupção institucionalizada  e seus maiores agentes, não para acabar com ela. é lamentável que a liderança do PT e do PC do B e demais integrantes da esquerda subestimaram tal coisa e que se salvaria das suas consequências. Talvez tenham pensado: se algo de ruim acontecer, acontecerá com todos ou com ninguém. erraram e erraram feio. Agora a merda foi feita e tomara que estejamos nós, aqueles que estão a esquerda nesse País, nos preparemos porque a caça as bruxas [NÓS] seremos homeopaticamente banidos dos espaços de atuação política, senão, exterminados. Mas,essa não é ainda  a maior razão da minha tristeza. Estou profundamente triste porque o que aconteceu, confirma a crença absurda de parte da população que as regras democráticas não é cláusula  pétrea nesse País. Para a crise política profunda, artificialmente criada para chegar ao desfecho em que chegou, a melhor solução seria a realização de uma eleição ampla e geral de prefeito a presidente da República. Mas, como ela foi criada artificialmente, até o desfecho em que se chegou foi um artifício muito bem planejado para preservar o sistema corrupto a qual estamos sujeitos.O impeachment a moda paraguaia, enfim, o GOLPE, foi executado para que o povo não corrigisse por ele mesmo os erros da política e dos políticos que estão envolvidos nele. Estou triste e razão é porque não existe essa tal de democracia que me disseram que era tão boa. Termino dizendo uma palavra profética: "ESTAMOS FODIDOS!"
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

CULTURA, INTERCULTURALIDADE E MULTICULTURALISMO: UM INVENTÁRIO DAS IGUALDADES E DIFERENÇAS TEÓRICAS NA EDUCAÇÃO

CABECINHAS ENVENENADAS!

CARTA ABERTA À ADVOGADA GERAL DA UNIÃO